Tags

,

Eu sempre gostei de maquiagem, desde pequena. Lembro bem de momentos da infância me maquiando super com as coisas da minha mãe. Aí ela chegava e mandava tirar tudo porque eu tava parecendo uma palhaça! E devia estar mesmo porque sempre fui chegada num blush meu bem… sou dessas!!

Além da atração natural por um batonzinho, tinham os momentos mágicos dos espetáculos de dança. Eu sempre fiz ballet, então rolavam muitas apresentações ao longo do ano, e  é claro, muitas oportunidades de embelezamento 😉

Quando eu era pequena minha mãe que me maquiava (para o bem da humanidade), mas com uns 10 anos já comecei a me virar um pouco e acho que com uns 12 eu já fazia tudo sozinha. Daí pra frente foi só melhorando! Era um tal de sombra pra cá, batom pra lá, e rolavam inclusive uns cílios postiços pra ficar com as pestanas belas no palco 🙂

Eu sempre adorei os momentos pré-espetáculo por conta dos preparativos, a gente se divertia muito com as maquiagens, cabelos e fantasias. A figura de um camarim sempre me traz boas lembranças e hoje eu sonho em ter um “mini camarim” como meu cantinho da beleza. Ai ai, sonhar não custa nada minha gente!

A grande vantagem das maquiagens do ballet é que ninguém da platéia reparava se o traço do seu delineador estava retinho, se tinha alguma sombra meio forte ou se seu batom estava levemente borrado. Tudo podia ser mais “grosseiro”, porque de longe ainda ficava legal. Com isso fui aperfeiçoando bastante, mas ainda assim minha maquiagem era meio drag queen para uma festa na sociedade!!! Além disso, sempre usei makes bem basiconas e baratinhas, nada era sofisticado.

Depois que parei de dançar dei uma boa desencanada do mundo das maquiagens. Eu continuava usando coisas básicas como batom, blush e um pó facial por exemplo. Mas passava longe de base, delineador e outras coisas mais trabalhosas. Sei lá por que motivo, de repente eu estava descansando um pouco para voltar com força total!

Até que há uns dois anos a minha linda irmã (vulga Tsuzinha) começou a ler vários sites e blogs de beleza na internet, depois começou a comprar umas revistas de moda, e depois… a casa caiu!! Ela começou a comprar vários produtinhos mara e ia me mostrando tudo. Eu fui experimentando uma coisinha aqui, outra acolá, e quando vi já tava fazendo várias listinhas compridas para quem estivesse indo viajar pro estrangeiro hahaha

A diferença dessa vez é que a make devia ser phyna! Uma coisa delicada e na medida certa sabe? Demorei um pouco para conseguir fazer certas coisas sem ficar over, mas fui vendo que com os apetrechos certos tudo se resolve!

Hoje eu tenho uma singela coleção de maquiagem…

Foto: Moisés Schini / LariCota

…mas que me atende bem nas necessidades básicas de dar um up no visual. O problema é que a minha wish list só cresce, e posso dizer com toda convicção do mundo que: é tudo culpa da minha irmã!!!!!!!

Não acho que todo mundo precisa de um rímel bapho e que você não vai sobreviver sem um corretivo na bolsa. Mas penso que produtos de beleza podem sim dar uma melhorada na aparência e culminar com aquela massagem básica no ego. Se você é desencanada com suas sardas, ótimo! Saia de cara lavada e sambe de salto 15 na cara da sociedade hahaha. Mas se for pra sair e ficar imaginando que todos estão te olhando, compre uma boa base e seja feliz!! O importante é investir em produtos que realmente vão te trazer algum benefício, sejam eles estéticos ou psicológicos.

Para finalizar, a dica amiga de hoje é: não escute a sua irmã!!! Brincadeira 🙂 Além de me fazer retornar ao mundo das makes, a minha irmã sempre me dá vários presentes fofos e diferentes. Thanks Tsuzinha 😉

E você, também tem uma relação de amor com as suas maquiagens?!