Tags

, , , , , , , , , , , , ,

Visitar museus, fazer compras, assistir peças, tudo isso é opcional. Mas uma coisa é fato: todo mundo tem que comer! Se você é daqueles viciados em junk food, com certeza vai se sentir em casa nos EUA. Mas se você, assim como eu, tenta se livrar do encosto da obesidade, vai ter que se empenhar mais!

Talvez seja coisa de gente que não conhece bem o lugar, mas eu acho meio difícil comer bem (e barato!) nos EUA sem sentir que to imediatamente ganhando um número no manequim 😦 . É claro que existem opções mais saudáveis como saladas e pratos grelhados, mas parece que tudo vem acompanhado de um molho delicioso, croutons e outras cositas más que certamente fazem você voltar pra casa mais roliça.

Lembre-se sempre: equilíbrio é a alma do corpo esbelto!! Uma dica da LariCota é comprar frutas e quitutes saudáveis no mercado, assim você pode alternar com os momentos jaca de alguns restaurantes. Nós compramos coisas para comer no café na manhã (leite, cereal, frutas) e fazer lanches ao longo do dia, e isso ajudou bastante a não me sentir tão culpada em cada refeição. Vale ressaltar que as frutas lá são bem gostosas e docinhas, não tem essa de pegar uma laranja ácida demais, elas são sempre boas e iguais.

Como nutricionista, recomendo fortemente que você não se jogue de cara todos os dias nos sandubas com molho barbecue. Mas como estamos falando da terra da gordice e ninguém aqui é de ferro, vou dar dicas e a minha impressão de alguns lugares para você abastecer o pandú.

Café da manhã americano

Sabe aquele café da manhã típico de americano com ovos, bacon, panqueca, waffle e outros tiros no pneu?!?! Pois é, comer isso todos os dias de manhã é pecado minha gente, mas comer em um dia da sua viagem é puro prazer! A gente queria um lugar simples que tivesse tudo isso, e foi aí que achamos o tesouro abaixo .

 Morning Star Cafe: um lugar simples, com atendentes eficientes e sem firulas. Tem todas essas coisas gordas gostosas de café americano, e comidas de almoço e jantar também. Lá eu tive um dos maiores deleites gastronômicos da minha vida, quando comi eggs benedict não menos que perfeitos. A cena da atendente servindo café você já viu em mais de 50 filmes, é aquele café mais fraco que ela traz em uma jarra e vai servindo até você dar o sinal de “pare”. É claro que esse café da manhã funciona como um almoço, e por essa maravilha você paga uns $10. O lugar funciona 24h, então se você acordar no meio da noite com desejo de comer uma guloseima, corre lá que eles estarão te esperando.

French toast, panqueca, ovos com bacon, batatas e ovos benedict. Que pé na jaca meu Deus, socorro!!!

Outra opção legal é usar aquele app específico de cafeterias para descobrir lugares novos. Falei dele aqui, lembram? Quem sabe você volta aqui com uma dica nova para as MariCotas.

Junk Food

Quase todos que conheço querem fazer a dieta do hambúrguer quando vão aos EUA. Mais uma vez a LariCota alerta, isso não é saudável para o seu corpinho!! Mas se o assunto não estiver em discussão, aqui vão 3 opções para o quesito lixão:

– Five Guys: bom, barato e tem vários espalhados pela cidade. Você decide o tamanho (com 1 ou 2 carnes) e tipo do sanduba (só com carne, carne + queijo ou carne + queijo + bacon), e adiciona os toppings que quiser. A carne e o queijo são realmente saborosos, e além dos tracionais alface, tomate e maionese, você pode adicionar toppings como cogumelos, molho barbecue e outros itens mais originais. Achei digno, e meu namorado a-m-o-u. Se você quiser uns aperitivos para acompanhar o sanduba, eles oferecem amendoins digrátis. Aí você já aproveita e guarda uns na bolsa para dar aos esquilinhos fofos. Falei sobre isso aqui.

– Burger King: o lanche não é novidade, tem em várias cidades aqui no Brasil (pausa dramática: eu to muito paulista chamando sanduba de lanche!!). O diferencial é o preço, com menos de $5 você compra um daqueles combos de whopper + batata + refri. Se a grana tiver curta no fim da viagem, é uma opção.

– Sbarro: fast pizza. São aquelas fatias de pizza enormes que já ficam expostas e você escolhe na hora. Também tem massas e salada, mas o carro chefe é a pizza. São bem gostosas e uma fatia de queijo custa uns $4. Você ainda pode dar aquela calibrada no queijo salpicando um parmesão free que fica na bancada. É igual aquele esquema antigo do Spoleto, que agora eles tiraram e te dão um mísero sachê de parmesão, triste não? Não vá esperando um restaurante italiano típico, é um italian fast food.

Junk não tão junk

Essa categoria é daqueles restaurante que tem de tudo: saladas, sopas, aperitivos gordos e pratos variados. Você escolhe o tamanho do deslize! São restaurantes tipo Outback aqui no Brasil.

– Hard Rock Cafe: é bom e tem um clima legal. Aqui no Brasil tem no Rio e em BH, e apesar da decoração ser sempre uma espécie de “museu do rock”, tem peças diferentes em cada loja. Em NY, a parte mais legal é onde ficam os terninhos lendários, e originais dos Beatles. A comida e os drinks são bem gostosos, e mais uma vez quem leva a fama é o hamburger. É um restaurante que atraí muitos turistas, então o problema é a fila, o dia que fomos esperamos uns 40min, e em alta temporada esse tempo pode dobrar. Tem wi-fi de graça, então enquanto espera você pode postar uma foto no Insta ao lado da guitarra de um astro do rock. O gasto médio é de uns $30.

Cenário para a turistada clicar enquanto espera a mesa.

Essa foto ficou estranha, mas é só pra mostrar a strawberry lemonade que eu amo muito!

– Bubba Gump Shrimp Co.: delícia total!! É um dos meus restaurantes favoritos e queria muito que tivesse aqui no Brasil. Também é desses que tem de tudo, mas os especiais são os pratos com camarão (que eu amo!!). Recomendo o Shrimper’s Net Catch de aperitivo, que é um camarão muito gostoso cozido na cerveja. O Mac n’ cheese deles também é uma delícia, tem camarão junto. Apesar de sair bastante, não recomendo o Shrimp Chimichurri Skewers. É um prato com quatro tipos de camarões fritos, que no nosso caso vieram bem encharcados de óleo. Azar ou não, senti minha artéria entupindo lá no restaurante mesmo hahaha. Para quem não conhece o restaurante é inspirado no filme Forrest Gump, e por isso, tem uma decoração linda sobre as cenas do filme. Você pode comer na casa do Forrest, tirar foto com os tênis dele e escolher as bebidas na raquete de ping pong. Outra coisa impressionante de lá foi a galera cantando parabéns na mesa dos aniversariantes, eles são muiiiiiiito empolgados! Tinha uma loirinha maluca que cantava e dançava freneticamente! Não me lembrou nada outros lugares que provavelmente o garçon fala “bora cantar parabéns para o otário da mesa 4”! Eu não sou muito fã desse furdúncio no meu aniversário, mas se você quiser um parabéns agitado lá é o lugar. Na saída tem até uma lojinha de souvenir como em pontos turísticos, dá para arrematar uma caneca :).  O preço médio por pessoa é $35.

O Mac n’ cheese deles com camarão.

Sobremesa sucesso: cookie de chocolate com sorvete, chantilly e castanha.

– T.G.I. Friday’s: na minha opinião é bem parecido com o Outback, tem inclusive a costela de porco parecida. Hoje em dia não tem mais no Rio, o que é uma pena, mas ainda tem em São Paulo. Comida boa, refrigerante refil e atendimento padrão. Recomendo o Tuscan Spinach Dip de entrada e a tradicional Jack Daniel’s Ribs de prato principal. Se você não for uma draga isso é suficiente para duas pessoas e sairá por uns $28 cada um. Mesmo não tendo sentado no bar sei que eles são famosos pelos drinks bons e com preço digno. É uma opção legal para quem só quer um aperitivo, uma coisa mais happy hour.

Tuscan Spinach Dip

Jack Daniel’s Ribs: costela de porco com molho levemente adocicado.

 Applebee’s: mesmo estilão do Outback e Friday’s. Também tem no Brasil, então não é novidade, mas é uma boa opção quando bate aquela fome bate e você não quer arriscar em algo diferente. É legal pedir o appetizer sampler, assim você conhece todos os aperitivos e elege o seu favorito para uma próxima vez. De prato principal eu adoro o Shrimp n’ parmesan sirloin, um steak com camarão e molho de queijo parmesão. Eles também servem saladas caprichadas que funcionam como um prato principal, eu gosto da Grilled Chicken Caesar Salad e da Grilled Shrimp ‘N Spinach Salad. Dá pra comer bem por uns $25.

Restaurantes mais arrumadinhos

– Daniela Ristorante: uma cantina italiana que achamos por acaso. A gente queria comer massa e usamos o app do Trip Advisor (falei dele aqui) para achar um restaurante italiano por perto, mas eis que no caminho batemos o olho no “Daniela”. A gente tava meio cansado e o Moisés falou “vamos aí nesse Daniela mesmo”, e eu respondi num tom de brincadeira, “ah tá, vamos sim”. Mas olhando melhor vimos que o cardápio tinha um certo potencial. Ele tem uma fachada bem tímida e nada glamourosa, mas a comida estava muito gostosa, eu adorei. Pedimos muzzarela sticks de entrada e massas de prato principal. O sabor era realmente muito especial, pareciam ingredientes de qualidade, sabe? Fomos muito bem atendidos por garçons mexicanos hehe. A maioria do pessoal lá é de países da América do Sul, então se você não é fluente no english dá para arranhar o portunhol com os chicanos. Saiu uns $35 por pessoa.

Muzzarela sticks com molho pomodoro. A foto não tá das melhores porque a luz lá era ruim, mas dá pra sentir o tamanho do tiro no pneu!! #ValeuAPena

– The Spotted Pig: eu gostei bastante, meu namorado não. É um restaurante pequeno, charmoso e descolado. Eles têm diferentes cardápios para brunch, almoço e jantar. Nós fomos para o jantar, mas como chegamos cedo tivemos que esperar um pouquinho para sentar. Não que estivesse cheio, é que eles ficam preparando as mesas e começam a sentar o pessoal em uma hora certa. Enquanto isso você pode bebericar no bar, que leva fama por ter drinks bons e especiais. Fomos de “Chargrilled Burger with Roquefort Cheese & Shoestring Fries”, e parece que o tal burger é um dos mais pedidos, saia toda hora. Achei a carne bem saborosa e o queijo roquefort deu um toque especial, mas a combinação não tava muito proporcional. Acho que eles colocam pouco queijo porque o roquefort é forte, só que acabou ficando meio seco… talvez caberia um molho junto, sei lá. Mesmo com esse detalhe eu fiquei satisfeita e voltaria lá, o Moisés disse que não! Ele achou o hambúrguer seco e não gostou das batatas diferentes. Nós gastamos uns $36 cada um, mas se você se encostar no bar essa conta pode aumentar bastante.

Tinha alecrim salpicado nas batatas. Deu um gostinho especial!

– Rana: esse foi o lugar que nos fez voltar ao Chelsea Market para jantar (falei aqui lembram?). O atendimento é muito bom e nós comemos massas deliciosas. As porções são individuais e não muito generosas. Para a gente foi suficiente, mas se você for meio lion talvez precise de uma aperetivada antes. Para os amantes de vinho lá tem várias opções em taças e com preços bem justos. Deu uns $45 por pessoa, e nós pedimos as massas, sobremesas e o Moisés tomou vinho.

Uma opção mais em conta é pedir a massa para viagem. É um serviço diferente do salão e fica na parte da frente do restaurante. As massas são feitas lá mesmo parecem ótimas. Tem com beterraba, espinafre, cenoura e até chocolate!

Ravoli de chocolate em formato de coração, que amor!

The Petrie Court Café and Wine Bar: é o restaurante que fica dentro do MET (falei do museu e do restaurante aqui). Para nós foi um lugar especial! Eles têm um daqueles “menu degustação” para o almoço e jantar. O do almoço custa $29 por pessoa, e com mais $5 você leva a sobremesa. A comida estava muito saborosa, e eu comi até shitake que não sou muito fã… o de lá tinha um molho diferente e tava tão cheiroso que encarei e adorei!

Entradinha boa demais.

Outra coisa legal do restaurante é que dependendo de onde você senta pode ficar admirando um pedacinho do Central Park. Isso porque as paredes são de vidro, o que deixa tudo mais inspirador para um almoço agradável :). Outra parte do restaurante dá para uma das galerias do museu, de qualquer forma você terá uma vista agradável.

O prato principal.

O prato principal era um peixe branco com molho de tomate e alcaparras, e de acompanhamento tinha brócolis e bolinho de bacalhau. Mais uma vez estava in-crí-vel.

Dica da LariCota: A gorjeta nos restaurantes de NY é de 20%. Sim, você leu certo, vinte por cento! É claro que rola aquele papo de ser opcional e que você pode dar menos, mas a coisa é meio intimidadora e pode ser que o garçom questione se você der menos. Outra coisa curiosa é sobre o pagamento com cartão de débito (falei aqui). Eles trazem a conta com o valor sem a gorjeta, aí você assina, coloca o valor que quer dar e o valor total (conta+gorjeta). Se você olhar no dia da compra pode ser que tenha caído apenas o valor da conta, mas no dia seguinte vai estar o valor total com tips! Eu não sei como eles podem “acrescentar” a gorjeta depois, mas sei que dá. O que pode acontecer é você colocar 10% de gorjeta e eles acrescentarem 20%… já ouvi dizer que não é difícil, até porque turista dificilmente volta para reclamar, muitas vezes nem dá tempo! Uma forma disso não acontecer é dar a gorjeta em dinheiro. Você pode pagar a conta com cartão, colocar “zero” no papel que assina e dar o valor em dinheiro. Se você escrever no papel eles vão te cobrar a gorjeta no cartão, e aí você pagará 2 vezes!! Cuidado para não deixar o garçom feliz demais com 40% de tips, ok?

Bom, acho que é isso… Eu queria ter feito esse post um pouco mais apetitoso e recheado de fotos, mas NY cansa muito e várias vezes lembramos das fotos só na sobremesa! Eu e meu fotógrafo pedimos sinceras desculpas às MariCotas :). Na próxima viagem ficaremos mais atentos, ok?

E você, tem alguma dica gastonômica em NY?

……………………………………………………………………………………………………………….…………………………………

Você também pode gostar de…

Passeios em Nova YorkNY museus NY dicas de barganha