Tags

, , ,

Como toda grande cidade, Nova York tem um grande metrô. Grande, caro e complicado! Mas se você conseguir driblar o desafio inicial, ele será uma mão na roda no seu dia a dia por lá. Uma coisa legal no metrô de NY é que você encontra de tudo! Nas grandes estações sempre tem alguém dançando, cantando, desfilando, recitando, andando com melancia no pescoço… enfim, se amostrando hahaha Acho muito engraçado quem fala “se amostrando” 🙂

NYC Subway Map MTA

Clique aqui para ver a imagem ampliada.

A primeira coisa que você vai precisar para circular entre os New Yorkers é de um Metrocard:

Foto: Moisés Schini / LariCota

Escolher o melhor e mais econômico pra você, vai depender de alguns fatores:

– O primeiro deles é quanto tempo você vai ficar na cidade. Existem versões do cartão com preço fixo e viagens ilimitadas com duração de sete dias por $30,00, e trinta dias por $112,00. Quanto mais você usar, menos vai custar cada viagem. Se for ficar menos que 7 dias, raramente vai conseguir usar uma quantidade de vezes que valha a pena. O custo do cartão unitário é $2,75 por viagem, então até 10 viagens, considerando apenas a questão financeira, o unitário é mais vantagem. A partir da sua 11ª viagem o ilimitado de 7 dias já é uma boa opção, principalmente considerando que você não precisa ficar comprando o bilhete toda vez que vai andar no metrozão.

– Hotéis em bairros distantes de Midtown costumam ser bem mais baratos. Se você encontrou um preço bom no Brooklyn, Queens, Harlen ou Financial District, o metrô será seu parceiro diário, até porque há poucas opções de lazer nesses locais. Entonces, dê preferência a um hotel que com estação próxima. Neste caso, provavelmente o ilimitado é a melhor opção, pois imagino que no mínimo usará duas viagens por dia.

– Outra coisa que influencia bastante é a época do ano que você visita a cidade. A ilha de Manhattan não é tããão grande, dá tranquilamente para fazer os passeios a pé se você agrupar pontos específicos cada dia. Mas é claro que no verão é muito mais agradável passear pelas ruas, né? Nós fomos no inverno, e em dias mais frios acabamos andando de metrô mais pela temperatura do que pela distância.

Resumo das vantagens:

Ilimitado: mais barato a partir da 11ª viagem; não precisa ficar comprando o bilhete toda vez que vai usar; usa sem se preocupar com despesas extras, mesmo que seja para andar apenas uma ou duas estações .

Unitário: mais barato até 10 viagens; recomendado para quem gosta de andar muito e para quem vai ficar poucos dias na cidade.

Como comprar:

LARICOTA, Viagem, NY,  Metro, Foto- Moisés Schini 2013-02-10

Nem todas as estações tem um guichê com um atendente, mas todas tem uma máquina que vende os bilhetes. Até que é fácil comprar se já souber o que quer, é só tocar na tela e ir navegando nas opções. Se tentar comprar com cartão de crédito ou débito a máquina pede o ZIP CODE (nosso CEP). Li em muitos sites que basta colocar 5 dígitos qualquer, pois essa informação não é checada em cartões internacionais. Porém, nossa experiência foi um pouco diferente. Tentamos comprar com o cartão de débito que falei aqui e deu erro 3 vezes, a operação era cancelada por conta do zip code. Foi então que tentamos com o cartão de crédito e deu certo, os dois tickets foram emitidos normalmente. Mais tarde conferindo os gastos do débito, vimos que aquelas 3 tentativas foram cobradas, ou seja, pagamos cinco vezes pelos dois cartões :S. Fomos parar no centro de atendimento ao cliente, que fica em Wall Street, para reclamar da cobrança indevida e felizmente depois de uma semana o dinheiro foi devolvido. No final tudo deu certo, mas para evitar a dor de cabeça eu recomendo fortemente que pague em dinheiro.

Pegando o trem

Em NYC não rola simplesmente entrar em qualquer estação e depois decidir para onde vai. Muitas entradas são exclusivas para uma determinada plataforma, que leva para um determinado destino, não necessariamente o seu. Praticamente todas as linhas têm bifurcações, então você precisa saber se aquele trem específico vai passar na estação que pretende descer. Eles são identificados com letras ou números de acordo com a cor da linha que percorrem. Há trens locais que param em todas as estações, e trens expressos que percorrem mais rapidamente o mesmo trajeto parando apenas em algumas estações.

Exemplo prático:

Mapa Subway Laricota

Você está na linha laranja na 23st e quer ir para o Museu de História Natural na 81st. Nesta linha transitam os trens identificados com as letras B, D, F e V, mas no sentido norte (uptown), após algumas estações, a linha irá se separar em três diferentes direções, e apenas os trens B e D seguirão no sentido da 81st. Como a estação 81st está marcada com uma bolinha preta, quer dizer que somente os trens locais param nela. Quando a bolinha é branca todos os trens param na estação, inclusive os expressos.

Apesar de ser bem específico, acho que esse post é útil para quem tá de viagem marcada. Se você achou didático, aproveitou as informações e tem mais dicas para as MariCotas, é só comentar que eu complemento o post com os devidos créditos ;).

E aí, bora andar de metrô na hora do rush?!