Tags

, , , , , , , ,

cinquenta_tons_de_cinza1A trilogia dos Cinquenta tons de E.L. James causou verdadeiro rebuliço entre as mulheres no ano passado, e imagino que muito homens ficam se perguntando o porquê. Se você, assim como eu, acabou de acordar do coma e não se sabe do que trata, fique tranquila, antes tarde do que nunca para entender o misterioso mundo cinza de Christian Grey.

A história tem como personagens principais Christian Grey e Anastasia Steele. Ele, um dos jovens empresários mais ricos e bem sucedidos do EUA, assombrado por uma infância traumática e chegado numa relação sexual pra lá de singular. Ela, uma jovem e inocente estudante universitária, vinda de uma família americana típica e amorosa e com experiência sexual nula.

O primeiro livro da trilogia foi lançando em março de 2012 nos Estados Unidos, e mais que rapidamente virou best seller dos fortes. Mas qual será o motivo de tanto interesse no romance apimentado do casalzinho? Erotismo muito detalhado é, provavelmente, a explicação. A autora narra com muitos detalhes cada relação sexual dos dois, e digamos que o Sr. Grey não tem ideias tão convencionais na hora de “brincar” com a Sra. Steele.

Eu comecei o primeiro livro em um sábado chuvoso, e menos de 10 dias depois já tinha terminado o terceiro. Achei o primeiro livro legalzinho, mas um pouco irritante e em alguns momentos bobo demais. A leitura é muito fácil e cheia de suspense, então te deixa bem curiosa para as próximas páginas, mas por alguns momentos eu comecei a “revirar meus olhos” enquanto tomava conhecimento de algumas práticas sexuais do Sr. dominador. Ele ser chegado num acessório erótico? Ok vai, cada um explora sua intimidade como achar mais excitante. Ele gostar de dar uns tapas na sua submissa? Eu não acho ok, mas passa se a mulher tiver vocação para isso. E aí chega o momento fail do livro… Surra de vara?? Suspensão?? What the hell?? Menos Christian, menos E.L. James… Mas no geral o livro dá pro gasto, e como ele acaba com o primeiro capítulo do livro seguinte, lá fui eu folhear as páginas de Cinquenta tons mais escuros.

Gostei bem mais do segundo livro. Tem mais romance, mais suspense, mais problemas e mais realidade. Ainda tem as longas e detalhadas descrições do sexo dos pombinhos, mas como isso a gente sabe o final, eu simplesmente fiz a egípcia para uns pares de frases e tava tudo certo. Grey? Ele começa a mudar minha gente! Fica mais sensível e apaixonado com o tempo, e é legal ver um homem tão problemático com os típicos sintomas do amor.

O terceiro livro foi o meu favorito e acho que concluí bem a história, que no fundo é muito mais simples do que parece. O homem era todo confuso, com mil problemas de relacionamento, mas ele também é podre de rico, bonito a ponto de fazer todas as mulheres corarem e finalmente conhece sua alma gêmea, então é claro que as coisas acabam se acertando. Grey não deixa de gostar de uma sacanagem pesada, e Anastasia acaba curtindo bastante alguns dos seus talentos, mas juntos eles acham um equilíbrio entre o erotismo intenso e o “sexo baunilha”, e no final das contas acaba ficando interessante.

Não posso ignorar o fato de que no segundo livro Annie me deixou, em alguns momentos, meio sem paciência… Ana Steele está sempre pronta meu povo!!! Dor de cabeça? TPM? Problemas no trabalho? Dia ruim? J-a-m-a-i-s! Anastasia é insaciável e fica acesa  a qualquer hora, em qualquer dia, e em qualquer lugar hahaha.

Minhas partes preferidas não são as quentes e detalhadas narrações da relação íntima do casal, e sim a divertida troca de e-mails com títulos e assinaturas bem humoradas. É legal também ver a dedicação do Grey querendo conquistar e agradar sua amada, pois apesar de ser praticamente o solteiro mais cobiçado de Seattle, ele escolhe a simples e tímida Anastasia, e a partir desse momento ele quer ela. Porque monogamia hoje em dia deixa a gente encantada, não é mesmo? Mesmo que seja só em um conto pervertido.

Houve muita crítica em torno dos livros cinzentos, mas best sellers costumam ser assim, muitos gostam e muitos odeiam. Ser um sucesso de vendas não significa que o livro é de excelente conteúdo, significa basicamente que ele tem um carisma especial, suspense e curiosidade para te envolver na história, e o mais óbvio de tudo, ele é fácil de ler.

A trilogia dos Cinquenta tons não vai enriquecer a sua bagagem literária e nem te deixar mais culto, mas garante bons momentos de lazer e leitura descontraída na maioria das mulheres. Então eu recomendo se você quiser um livro para entrar na história sem precisar pensar muito, pois o que a autora quer dizer ela diz, não tem nenhuma mensagem escondida pelas páginas.

Como todo sucesso de vendas, logo mais teremos filme nas telinhas, e acho que a curiosidade maior é sobre como serão as cenas picantes do casal. Vai ser praticamente uma pornografia? Ou vai ser um resumão sem graça e sem magia como já vimos muitas vezes? Teremos que esperar até 2014 para responder essas perguntas.

Dica da LariCota: Se você domina um pouco de inglês ou quer justamente treinar o idioma, leia o livro na versão original. Eu não li e fiquei “fodidamente” irritada com algumas traduções toscas hahaha. Eles traduzem muito ao pé da letra e algumas passagens ficam meio ridículas.

E você, o que achou do romance mais apimentado de 2012?

…………………………………………………………………………………………………………………………………………

Você também poderá gostar de…

TPGD Esmalte da SemanaLista de DesejosClarissonic